Os grandes navegantes da história




A História


As "Grandes Navegações" como conhecemos se refere às várias expedições marítimas organizadas nos séculos XV e XVI, principalmente por Portugal e Espanha. Elas ajudaram a marcar a passagem da Idade Média para a Idade Moderna, resultaram na descoberta de um novo continente a ser explorado pelos europeus, a América, e num grande impulso para o aumento do comércio da Europa com a Ásia e a África.

Porém, muitos foram os pioneiros que cruzaram mares ligando continentes. Então, como navegavam nossos antepassados antes das "grandes navegações"? 

Navegação na Antiguidade foi impulsionada por povos antigos que se lançaram aos mares, entre eles os VikingsGregos e Fenícios. A maioria dos povos antigos usavam navios de guerra em grandes batalhas, como os Gregos nos 500 anos de guerra contra os Persas. Os primeiros usaram Trirremes como meios de transporte e em batalhas navais. Os fenícios eram grandes marinheiros e comerciantes. Há cerca de 3000 anos, percorriam a costa do Mediterrâneo com os seus navios mercantes. Os Vikings por seu lado fizeram pilhagens frequentes por todo o Norte da Europa, a bordo dos seus barcos de guerra.

      
Navio Viking (Drakar - Navios dragão)           Trirreme Grego                             Navio Fenício

A Navegação da Idade Média e início da Idade Moderna, um dos tipos de embarcações usado foi caravela, uma embarcação usada pelos portugueses e espanhóidurante a Era dos Descobrimentos, podendo transportar até cinquenta homens. Com a passagem das navegações costeiras às oceânicas, houve necessidade de adaptar as embarcações aos novos conhecimentos náuticos e geográficos . À medida que se foi desenvolvendo o comércio marítimo e se tornou necessário aumentar a capacidade do transporte de mercadorias, armamentos, marinheiros e soldados, foram sendo modificadas as características dos navios utilizados. Surgiam então as naus. A nau apresentava três mastros.

Navegadores do Novo Mundo como conhecemos  
Cristóvão Colombo
No meio da viagem para o Oriente, o navegador português Cristóvão Colombo chega com sua esquadra à América do Norte, em 1492. 
Vasco da Gama
Sua primeira viagem à Índia foi iniciada em 1497 e, no ano seguinte, o navegante português cruzou o cabo da Boa Esperança e alcançou seu destino. 

Bartolomeu Dias
Liderou a primeira expedição a atravessar, em 1488, o cabo das Tormentas, mais tarde rebatizado de cabo da Boa Esperança (no extremo sul da África). 
Fernão de Magalhães
Apesar de português, foi da Espanha que, em 1519, partiu para dar a volta na América do Sul, descobrindo a passagem para o oceano Pacífico, que recebeu o nome de estreito de Magalhães. Morreu em 1521, nas Filipinas, antes do fim da expedição, mas 18 sobreviventes de sua tripulação chegaram à Espanha em 1522, completando a pioneira navegação completa em volta do planeta.

Uma estória nesta história


História nem sempre é aquilo que se ensina nas escolas, deixando em oculto fatos importantes na história. Um desses fatos é como se ensina que Cristóvão Colombo foi quem descobriu a América, quando na realidade outros europeus chegaram lá muito antes dele. Estes foram os vikings, que encontraram a América do Norte quase 500 anos antes do português e muito antes da era das Grandes Navegações.

Na falta de evidências históricas em contrário na época, Colombo foi nomeado como o descobridor da América, e equivocadamente é isso que é ensinado nas escolas até hoje, quase meio século depois de terem sido descobertas as ruínas vikings em L'Anse aux Meadows. Portanto é considerado o descobridor do Novo Mundo, apesar de vikings terem visitado o continente cinco séculos antes. 

Os vikings com seus navios dragão exploraram e estabeleceram bases nas costas da América do Norte a partir do século X, e terão aí deixado marcas, estes exploradores aparentemente não colonizaram a América, limitando-se a tentar controlar o comércio de peles de animais e outras mercadorias da região. 
                                                          
                                 
               Viking                                 Contato Viking com índios norte-americanos

Não se sabe tanto sobre eles quando se deveria; normalmente eles são tidos como um bando de bárbaros loiros ou ruivos, cabeludos, barbudos, saqueadores, furiosos, embriagados, estupradores e que usavam capacetes com chifres. No entanto se esquece que seus capacetes não tinham chifres e que, apesar de tudo, eles foram uma das civilizações mais importantes do mundo antigo e medieval, e grandes navegadores.

Navegadores antes de Colombo

Erik, "o vermelho"
Norueguês responsável pelo povoamento da Gronelândia, por volta de 985. Era um grande fora-da-lei norueguês, e era um experiente navegador.

Leif Eriksson
Filho de Erik, "o vermelho", navegador e explorador islandês, que terá nascido por volta de 975 e falecido em 1020, é considerado por alguns historiadores como o descobridor da América do Norte, onde chegou por mar no ano 1000. Segundo os historiadores modernos, conta que Leif Eriksson teria chegado ao continente americano pouco depois do ano 1000, após ter comprado um barco do navegador e comerciante islandês Bjarni Herjólfsson, que já teria estado perto da América. Então o barco de Leif teria perdido o rumo e encontrou o noroeste da América, uma terra, bastante fértil, arborizada e com muitas vinhas. Por isso, Leif Eriksson chamou-lhe Vinland, a terra do vinho, e lá teria estabelecido contato com os índios locais.

Uma curiosidade...
Você sabia que em 1964, o presidente norte-americano Lyndon B. Johnson proclamou 9 de outubro como Dia Leif Eriksson de forma a comemorar a chegada do primeiro europeu à América do Norte?



Nenhum comentário:

Postar um comentário